“Se eu deitar depois de comer, sinto um desconforto... *

Doença pode ser evitada com uma boa alimentação e orientações de um especialistaO refluxo ocorre quando o ácido produzido no estômago sobe para a região do esôfago. O estômago tem um revestimento interno que está preparado para esse nível de acidez, mas o esôfago não. Quando o ácido sobe ao esôfago provoca uma inflamação que gera uma queimação e aquela sensação de que o conteúdo gástrico sobe até a boca.

“Se eu deitar após me alimentar, sinto um desconforto. Dá uma tosse e uma queimação”, narra Ruth Leite Gomes, de 36 anos. A administradora hospitalar descobriu o refluxo há quatro anos. Chegou a tomar a medicação e, com a melhora, logo suspendeu o remédio. Porém, faz um mês que o refluxo voltou, obrigando-a a tomar os remédios novamente. “A tosse já deu uma melhorada. Ainda sinto um pouco de azia e mesmo que não esteja deitada tenho a sensação que vou vomitar”, conta Ruth.

Muitas podem ser as causas do refluxo, desde alterações anatômicas e da função da musculatura entre o esôfago e o estômago, até comportamentos que facilitam o refluxo em pessoas predispostas. O tabagismo, o alcoolismo, o consumo excessivo de alimentos gordurosos, alimentos muito ácidos ou muito picantes, além de algumas substâncias como café, chá, chimarrão, bebidas com gás e chocolate,  aumentam a possibilidade de refluxo, por diminuir a força do músculo que se propõe a segurar o ácido dentro do estomago.

Refluxo grave

Existem ainda outros sintomas que podem ser indicio de uma maior gravidade da doença. Como a dificuldade de ingerir alimentos, alteração do timbre da voz, vômito com sangue, sangue nas fezes, fezes negras como piche, anemia ou perda de peso. Esses são sinais de alarme que podem indicar, exemplificativamente, uma úlcera de esôfago ou até um câncer.

O refluxo de longa data pode levar a uma condição chamada esôfago de Barret, é uma condição pré-maligna que facilita a condição do câncer na região. Esses sintomas mais graves geram a necessidade de investigação mais rápida.

Recomendações

É relevante que as pessoas consultem um médico para definir as recomendações e o tratamento mais adequado, que varia de caso a caso. Embora algumas recomendações mais gerais possam ser feitas, como evitar  refeições muito volumosas, preferir várias pequenas refeições durante o dia. Depois de comer, esperar ao menos duas horas para se deitar e até mesmo evitar roupas muito apertadas. Para quem tem muito refluxo à noite, a elevação da cabeceira da cama pode ajudar.

Tratamento

O tratamento se baseia fundamentalmente na classe de medicamentos chamada ‘inibidores da bomba de prótons’. Na grande maioria dos casos, o paciente fica muito bem com o tratamento medicamentoso, alimentação equilibrada e, em algumas situações excepcionais, a cirurgia é necessária.

Os lugares mais baratos para viver na França... *

Metz

Metz está em uma localização perfeita. A localidade fica a apenas algumas horas de Paris e tem outras localidades vizinhas que são perfeitas para passeios de um dia. Em comparação com Paris, Metz é mais barata em termos de alojamento e comida, mas um recém-chegado ainda pode esperar pagar preços elevados para a roupa.

Versailles


Versailles é um ótimo lugar para pessoas que querem acessibilidade juntamente com luxos de localidade pequena. A localidade tem lojas baratas e necessidades como mantimentos ou aluguéis são alguns dos mais baixos na França. Versailles compreende a importância de mantimentos, transporte, creche e moradia, por isso as autoridades da localidade se certificam de que os moradores tenham opções acessíveis.

Montepellier

  Montpellier é bonita, vibrante e movimentada. Vivem cerca de 250 mil pessoas em Montpellier e a localidade tem uma  grande população universitária. A acessibilidade da localidade é devida a sua grande concentração demográfica de estudantes que precisam de ​​comida, roupas e abrigo a preços razoáveis enquanto completam seus estudos.

Nice

  Nice é caro, mas é a localidade mais barata, na Riviera Francesa. Muitos norte-americanos, em particular, são atraídos para Nice e fizeram da localidade francesa a sua casa, uma tendência que tem ampliado a população de língua inglesa de lá. Veja mais comunicações aqui.
Mais sobre a França: A França tem sido um centro de criação cultural por séculos. Muitos artistas franceses estiveram entre os mais famosos de seu tempo e a França ainda é reconhecida no mundo pela sua rica tradição cultural. Os sucessivos regimes políticos que sempre promoveram a criação artística e a criação do Ministério da Cultura em 1959 ajudaram a preservar o patrimônio cultural do país e torná-lo disponível ao público. O Ministério da Cultura tem sido muito ativo desde a sua criação na concessão de subsídios aos artistas, promovendo a cultura francesa no mundo, apoiando festivais e eventos culturais, além de proteger monumentos históricos. O governo francês igualmente conseguiu manter uma exceção cultural para defender produtos audiovisuais feitos no país. A França recebe o maior número de turistas por ano, em grande parte graças aos inúmeros estabelecimentos culturais e edifícios históricos implantados em todo o seu território. Dispõe de 1.200 museus que recebem mais de 50 milhões de pessoas anualmente. Os locais culturais mais relevantes são mantidos pelo governo, exemplificativamente, através da agência pública do Centro Nacional de Monumentos, que tem cerca de uma centena de monumentos históricos nacionais sob seu cuidado. Os 43.180 edifícios protegidos como monumentos históricos incluem principalmente residências (muitos castelos) e edifícios religiosos (catedrais, basílicas, igrejas, etc), mas igualmente estátuas, memoriais e jardins. A UNESCO inscreveu 37 locais na França como Patrimônios Mundiais.

Em Floripa: Audiência pública apresenta nova versão do PMRR... *

Aconteceu na tarde desta quinta-feira (4)  a audiência pública que discutiu e apresentou propostas para a complementação da nova versão do Plano Municipal de Redução de Risco (PMRR) de Florianópolis. O documento, que contém fundamentos técnicos de ação para o apoio à prevenção e erradicação de riscos de deslizamentos em encostas e inundações, está sendo revisado e atualizado pela Secretaria de Habitação, com apoio da Defesa Civil.

"Após essa audiência, gera-se um relatório, que irá complementar o plano preliminar. Este documento será submetido a análise da Caixa Econômica Federal. Sendo aprovado, torna-se oficial o Plano Municipal de Reduação de Risco (PMRR) da Prefeitura", informou o diretor de Habitação, Américo Pescador.

Entre as ações e medidas propostas pelo Plano Diretor e pelo PMRR, está o mapeamento das áreas com maior risco de escorregamentos e a identificação de outros possíveis pontos suscetíveis a novas ocorrências.

A Secretaria de Habitação já vem trabalhando e realizando várias obras em áreas mapeadas como de risco de escorregamentos. Além das obras físicas, realiza-se igualmente um trabalho educativo e comunicativo com as famílias residentes nestas áreas, sempre com o apoio das lideranças comunitárias, entidades e sociedade civil em geral.

Atualmente, existe um intenso crescimento urbano, com ocupações em áreas ambientalmente frágeis, como encostas de morros, fundos de vales, margens de rios, manguezais, dunas e áreas de preservação de mananciais. Por isso, a Prefeitura intensificou a revisão e atualização do PMRR.

foto/divulgação: Martinho Ghizzo/PMF

Universidades na Europa: O que significa ECTS?... *

O sistema ECTS

O que significa ECTS?

As abreviaturas referem-se ao ECTS European Credit Transfer e Acumulação de Créditos ( Transferência e Acumulação de Créditos do sistema ) utilizados no quadro do Espaço Europeu de Educação Superior (EEES ). O sistema ECTS tem com base a transparência dos resultados e processos de aprendizagem centrada no estudante. O escopo é facilitar o planejamento, entrega, avaliação, reconhecimento e validação das qualificações e unidades de aprendizagem, assim como promover a mobilidade dos estudantes.

O que são créditos ECTS?

As disciplinas do currículo adaptado ao EEES expressam a sua carga de trabalho em créditos ECTS . Indica aos estudantes o tempo que normalmente precisa para completar todas as actividades de aprendizagem (tais como palestras, seminários, projectos, trabalhos práticos, estudo e exames) para atingir os resultados de aprendizagem esperados. Um crédito ECTS é uma equivalência de entre 25 e 30 horas de trabalho do aluno , envolvendo não só assistência às aulas, mas igualmente qualquer outra atividade relacionada ao processo de aprendizagem. Por exemplo, um plano com uma carga de 3 créditos ECTS indica uma dedicação do estudante de entre 75 e 90 horas. A carga de trabalho um ano de aprendizagem formal (ano académico) em qualquer currículo dentro do EEES é fixada em 60 créditos , o que significa que o trabalho de um ano de treinamento em tempo integral que impõe uma carga de trabalho do aluno que varia entre 1.500 e 1.800 horas.

Qual é o volume de trabalho do Mestrado?

As disciplinas do currículo do grau de Mestrado especificam a carga de trabalho em termos de créditos ECTS.  Tomemos exemplificativamente um curso com carga de 75 créditos ECTS (1875-2250 horas) , das quais podem equivaler a 60 ECTS individuais (um ano lectivo a tempo integral) e 15 ECTS de Dissertação. As disciplinas do mestrado são geralmente estabelecidas de forma que 1 crédito ECTS equivale a  6 horas de aula com professor e os restantes 19 a 24 horas de trabalho do aluno equivalem a outras tarefas de treinamento: auto-estudo, exames, resolução de problemas, desenvolvimento de projetos, participação em seminários, conferências, etc

Saber mais

Mais comunicações sobre o sistema ECTS no site da Comissão Europeia:

Festa em Vitória ES!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!... *

Capital do estado do Espírito Santo, Vitória completa 463 anos na próxima segunda-feira (8) e o presente vai para os visitantes e moradores locais. Hotéis, bares, restaurantes e demais serviços turísticos terão abatimentos e cortesias em diversos estabelecimentos da localidade. A iniciativa da prefeitura deve aumentar o movimento de turistas na região.

Como parte das comemorações de aniversário, terá início no domingo (7) o Festival Mariscada, com um cardápio de frutos do mar. No dia seguinte (8), o parabéns será no Parque Moscoso, com um bolo de dois mil pedaços, que será compartilhado entre moradores e visitantes. Entre os dias 13 e 14, uma agenda cultural com 24 horas ininterruptas vai agitar o centro histórico da capital com apresentações de artistas locais e nacionais, como, exemplificativamente, o show de Zeca Baleiro.

A terceira capital mais antiga do País ganhou esse nome após uma batalha na qual os portugueses derrotaram os índios Goitacazes e, em seguida, nomearam a localidade como Ilha de Vitória, que tem cerca de 350 mil habitantes, de acordo com dados do IBGE 2014. Além da parte do continente, é formada por arquipélago com 33 ilhas que encantam os turistas.

Entre os cartões-postais, destaca-se a Pedra dos Dois Olhos, um pico com 296 metros de altitude na ilha de Vitória. Entre as praias mais frequentadas, estão Camburi com um calçadão, ciclovias e quiosques, e igualmente a praia da Curva da Jurema e a Ilha do Boi. Na Praia do Canto, o visitante vai encontrar uma variedade de restaurantes, bares, hotéis e lojas.

Aos fins de semana, a Feira da Praça dos Namorados é ponto obrigatório para o visitante fazer compras, provar a gastronomia local e assistir a shows com bandas locais. Além disso, todos os anos, a Festa das Paneleiras movimenta a localidade.

A confecção de panelas de argila, herdada há 400 anos da cultura indígena, é reconhecida nacionalmente como bem cultural de natureza imaterial e, desde 2002, se tornou Patrimônio Cultural Brasileiro, por iniciativa do Ministério da Cultura e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). São nessas panelas de barro que é servido, inclusive, um dos principais pratos típicos da região: a moqueca capixaba.

A localidade tem mais de 10 parques abertos aos visitantes. O Parque da Cebola é indicado para passeios em família e a prática de esportes. É bem provável que o visitante se encante com animais que circulam por lá, como os pavões.

A agenda cultural se concentra, principalmente, no Teatro Carlos Gomes, que recentemente passou por uma revitalização no centro histórico. Para quem gosta de história, vale a pena uma visita ao Palácio Anchieta, uma das antigas sedes de Governo. Entre os principais eventos, destacam-se o Festival da Torta Capixaba e o Festival de Cinema de Vitória.

Não faltam adjetivos para caracterizar Vitória: localidade presépio, delícia de ilha, localidade do sol. Quem já esteve por lá diz que o céu é, quase sempre, azul. A capital é o único destino indutor do turismo no Espirito Santo, segundo o Ministério do Turismo (MTur), que já  investiu R$ 6 milhões na capital em obras de infraestrutura turística na localidade, nos últimos dez anos.

Rumo a 2015