Os Castelos Mais Bonitos do Mundo – Fotos... *





30 dos castelos mais bonitos da Europa







Selecionamos o que achamos que são 30 dos castelos mais bonitos da Europa e eu tenho certeza que você vai desfrutar de vê-las. Se você olhar em torno da rede, você vai ver, basicamente, os mesmos castelos em todos os lugares. Embora tenhamos mantido alguns dos castelos mais visitados em nossa coleção igualmente, buscamos (e eu acho que nós conseguimos) para reunir uma coleção diversificada, mas única de castelos.

No entanto, a seguir, você verá alguns realmente belos castelos de países como aFrança, Reino Unido, Dinamarca, Suécia, Alemanha, Roménia, Itália, Holanda, Espanha, Polónia ou a Lituânia . Isso significa que 11 países e uma paleta extremamente diversificado de estilos. Além disso, alguns dos castelos são construídas na Idade Média , enquanto os outros são construídas no 18 ou 19 thCentury. Assim, em termos de património histórico, deve fazer este artigo um extremamente interessante.

Outra coisa, eu não sei se vocês assistir ou já ouviu falar de Downton Abbey (série de TV), mas nós selecionamos o belo Castelo Highclere (onde a acção tem lugares) em nossa coleção. Agora, desfrutar de todos esses castelos exclusivos, se inspirar e se você gostou deste artigo, por favor, compartilhe com seus amigos ou comunidade!Muito obrigado! Cheers!
Respeite o nosso trabalho! Não copie os nossos artigos!

 
Château de Sully sur Loire (França)



 

 
Windsor Castle (UK)



 

 
Bodiam Castle (UK)



 

 
Highclere Castle (UK)



 

 
Castelo de Örebro (Suécia)



 

 
Taranto Castle (Itália)



 

 
Chambor Castle (França)



 



 



 

 
O Castelo de Mota (Espanha)



 

 
Chenonceau (França)



 

 
Challain Castle (França)



 

 
Cheverny Castle (França)



 

 
 Château de frazė - Eure-et-Loir (França)



 

 
Château de La Source (França)



 

 
Castelo de Trakai (Lituânia)



 

 
Peles Castle (Roménia)



 

 
Rosenbork Castle (Dinamarca)



 

 
Chateau de Bourbilly (França)



 

 
Chateau Martainville (França)



 

 
 Castelo de Neuschwanstein (Alemanha)



 

 
Eilean Donan Castle (Escócia)



 

 
Castelo de Chantilly (França)



 

 
Marlbork Castle (Polônia)



 

 
Saumur Castelo (França)



 

 
Chateau De La Cazine, Limoges (França)



 

 
Beuvriere Castle (França)



 

 
Dunrobin Castle (UK)



 

 
Haar Castke (Holanda)



 

 
Beauregard Castle (França)



 









A construção de um castelo poderia demorar de menos de um ano até mais de vinte para ser concluída. A arquitectura de fortificações, por muitos séculos, constituiu-se em relevante actividade económica, levando a uma grande demanda por mestres-de-obras e grupos de artífices especializados, que se mudavam frequentemente de região para região. Na Idade Média, as localidades que pretendiam erguer catedrais tinham que competir por essa mão-de-obra especializada com a nobreza que estava a construir castelos.


Um exemplo foi a construção do Castelo Beaumaris, no norte de Gales, iniciada em 1295 e jamais concluída. O projeto era simétrico, sem pontos fracos. Em seu auge os trabalhos ocuparam 30 ferreiros, 400 pedreiros e 2000 trabalhadores. O Castelo de Conway, igualmente em Gales, erguido por determinação de Eduardo I de Inglaterra, levou quarenta meses para ser concluído.


Em sua concepção clássica, um castelo compunha-se de um pátio ou praça de armas, cercado pelas edificações, adossadas às muralhas. O topo das muralhas era percorrido por um adarve, protegido por ameias. O acesso era feito pelo Portão de Armas (principal), havendo ainda uma chamada "Porta Falsa", "Poterna" ou "Porta da Traição", prevendo uma eventual retirada dos defensores. Com o desenvolvimento de povoações ao abrigo dos muros do castelo, uma cerca passou a envolver o perímetro urbano.


Entre os seus principais elementos defensivos compreendem-se as muralhas, amparadas ou reforçadas por torres. Entre estas últimas, destacava-se a chamada torre de menagem, que se constituía em um pequeno castelo dentro do castelo. Muralhas e torres eram encimadas por matacães e ameias. A sua defesa era ampliada pela presença de barbacãs e pela abertura de fossos e valas, secos ou inundados, visando dificultar não apenas a aproximação dos atacantes, mas igualmente as muralhas contra os trabalhos de sapa dos atacantes. Estes obstáculos eram transpostos, adiante dos portões, por pontes levadiças. Os portões, por sua vez, podiam ser defendidos por pesadas portas levadiças, uma grade que deslizava nas ombreiras do portão, bloqueando a passagem.


O assédio e o assalto a um castelo



A tarefa de captura de um castelo era normalmente complicado, demandando paciência e recursos para sustentar um cerco, o emprego de astúcia e mesmo de diplomacia.


Quando uma força inimiga se aproximava do castelo, normalmente os habitantes da região se abrigavam em seu interior com suas colheitas e criação.


Estabelecido o assédio, impunha-se extrapolar as muralhas, que necessitavam ser rompidas. Uma variedade de técnicas e de meios foi desenvolvida, ao longo dos séculos, para esse fim:


Sapa - os trabalhos de sapa ou de minas consistiam em escavar túneis nas fundações das muralhas, escorados por traves de material, posteriormente incendiados para fazer desabar os túneis e as seções de muralhas acima.
Aparelhos de arremesso de projéteis (pedras, projéteis incendiados ou cadáveres de animais ou de pessoas), como exemplificativamente o trabuco ("trebuchet") e a manganela.

Aríetes
Escadas
Torres de cerco
Pavês

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>